Mutuários do Tancredo Neves serão atendidos pelo Minha Casa Legal até esta terça (24)


Mutuários do conjunto Tancredo Neves foram atendidos na manhã desta segunda (23), através de mais uma ação de regularização do Programa Minha Casa Legal. A Empresa de Gestão de Recursos do Piauí (Emgerpi) visa regularizar 756 imóveis do conjunto. O atendimento itinerante será realizado até esta terça (24), das 7h30 às 13h30, no Salão Paroquial da Igreja Imaculada Conceição de Maria, localizada na Rua Francisca Laerte, n º 2386, no Tancredo Neves.

O diretor-presidente da Emgerpi, Décio Solano, explica que no escritório itinerante do Programa Minha Casa Legal, os mutuários do conjunto Tancredo Neves terão mais uma oportunidade para tirar dúvidas acerca dos procedimentos que ainda precisam fazer para regularizar os seus imóveis, bem como saber quais os descontos de até 90% que o Programa Minha Casa Legal está oferecendo para os inadimplentes.

Mais de 35 mutuários do conjunto Tancredo Neves ainda precisam quitar débitos junto a Emgerpi. Outro objetivo desta ação itinerante é convocar os mutuários adimplentes para que eles façam a atualização cadastral ou resolvam outras pendências juntos aos seus contratos de financiamento habitacional.

Segundo o presidente da Associação de Moradores do Conjunto Tancredo Neves (Asmotan), Raimundo Nonato Alves, esta ação da Emgerpi é muito importante, pois era uma das demandas das pessoas do conjunto Tancredo Neves. “Isso porque elas sempre me procuravam para saber que dia esse programa iria atendê-las. Eu sugeri que esta ação fosse de dois dias e a Emgerpi nos atendeu. Espero que este atendimento seja proveitoso para todos que precisam regularizar suas casas”, disse o líder comunitário.

O mutuário Josemar Correia Furtado, que mora no conjunto Tancredo Neves há 34 anos, disse que precisa fazer a transferência de imóvel. “Meu apartamento ainda está registrado no nome da minha esposa, que já é falecida. Estou buscando atendimento porque preciso de ajuda para repassar essa casa para o nome das minhas filhas. Gostei do atendimento, pois recebi as informações que precisava e também porque fui atendido no meu bairro. Acho que esse serviço vai estimular e ajudar outras pessoas do Tancredo Neves”, declarou.

“Minha casa já está quitada, mas está faltando o documento de posse. Achei esse programa importante, pois vai nos ajudar a resolver esses problemas”, destacou o autônomo Luiz Rosa, que mora no conjunto Tancredo Neves desde a sua fundação.

A mutuária Elvina Lopes Clara, que mora desde 2004 no conjunto Tancredo Neves, disse que buscpou atendimento pois precisa fazer a transferência do imóvel para seu nome. “Já quitei a dívida da minha casa. Eu comprei ela do primeiro dono e hoje quero regularizar. Eu não trouxe o papel da quitação, mas tenho documento da pessoa que vendeu ela para mim. Vim aqui para saber quais  os documentos que preciso trazer amanhã para tentar resolver isso, porque quero regularizar a minha casa”, falou a aposentada.

Sobre os trabalhos de regularização feitos para os mutuários do conjunto Tancredo Neves, a Diretora de Processos Imobiliários da Emgerpi (DPI), Ana Lúcia Gonçalves, falou que ações de preparação foram feitas, em parceria com a associação de moradores do Tancredo Neves. “Através da equipe de serviço social da DPI, a Emgerpi fez uma busca ativa de ‘porta em porta’, notificando cada morado sobre a realização desta ação itinerante. A meta é deixar todos esses mutuários aptos para receber os ofícios de liberação da hipotecas, para que eles possam receber os títulos de propriedades dos seus imóveis assim que a averbação do conjunto seja finalizada pela diretoria de regularização patrimonial da Emgerpi”, comentou a gestora.