Taylor Swift se livra de processo de plágio por “falta de originalidade”


Taylor Swift foi processada em 2017 por plágio na música “Shake It Off” pelos compositores Sean Hall e Nathan Butler que alegavam que a cantora usava frases da faixa “Playas Gon’ Play”, feita para o grupo 3LW.

Na quarta-feira (14), o juiz Michael W. Fitzgerald, da Califórnia, descartou o processo por considerar que os versos “Cause the players gonna play, play, play, play, play/And the haters gonna hate, hate, hate, hate, hate” (“Jogadores vão jogar e odiadores vão odiar”, em tradução livre) não entram no mérito de direitos autorais por serem banais e sem originalidade.

“‘Jogadores vão jogar’ ou ‘odiadores vão odiar’ não são mais criativos do que ‘corredores vão correr’ ou ‘nadadores vão nadar’. Na soma, as letras em questão são muito curtas, sem originalidade e sem criatividade para merecerem proteção na lei de direitos autorais”, diz a decisão do juiz.

Em 2015, Taylor Swift foi acusada de plágio pela canção pela primeira vez por Jessie Braham que dizia que ela tinha copiado sua música “Haters gonna Hate”. Na época, a juíza responsável pelo caso também deu a vitória a Taylor Swift e ainda usou vários versos de músicas da cantora na decisão do processo.

“Shake It Off” foi lançada em 2014 como o primeiro single do disco “1989”.

Fonte: Papel Pop