Teresina estuda ajustes na educação de acordo com a Base Nacional Comum Curricular


No final do ano passado o Governo Federal aprovou a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que deve tornar mais igualitário o ensino em escolas públicas e privadas de todo o país. A meta para as redes de ensino atualizarem seus currículos com as novas diretrizes é até 2019. Em Teresina, a Secretaria Municipal de Educação (Semec) iniciou hoje (10) os estudos para a atualização das diretrizes curriculares, montando um grupo de estudo no Centro de Formação Odilon Nunes.

Os estudos preliminares serão realizados com técnicos da Semec, em seguida diretores, pedagogos e professores também farão parte das discussões para ajuste do currículo que será base das unidades de ensino do município. A BNCC traz de forma detalhada os conteúdos e competências que devem ser trabalhadas em sala de aula.

Segundo a secretária executiva de Ensino da Semec, Irene Lustosa, as mudanças mais significativas estão relacionadas a formação integral do aluno e o estímulo às competências socioemocionais. “São aspectos importantes, que já buscamos trabalhar nas unidades de ensino da rede municipal de Teresina, mas com essas questões detalhas na base curricular, passamos a seguir obrigatoriamente. Esse conteúdo vai guiar o planejamento das escolas, por isso é fundamental um estudo aprofundado para a reformulação local”, explica.

Na prática, a Base Nacional Comum Curricular exige que os conteúdos ensinados nas turmas de educação infantil e ensino fundamental estejam sempre relacionados com a utilidade real na vida dos estudantes. Além disso, devem reforçar valores como respeito, tolerância e valorização dos direitos humanos.

“Essa atualização é nossa prioridade de 2018, concluiremos bem antes do prazo estipulado”, garante o secretário municipal de Educação, Kleber Montezuma. Para ele, o novo currículo é importante para nortear o trabalho dos educadores para um aprendizado significativo dos alunos. “O grande desafio é a mudança de mentalidade, mas não mediremos esforços para realizar as mudanças necessárias”, pontua.

Para auxiliar nos estudos e processo de atualização do currículo de Teresina, o secretário pretende dialogar com especialistas que estiveram envolvidos no mesmo processo em outras regiões do país. A ideia é enviar técnicos da Semec para observar como se deu a atualização em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, trazendo também especialistas para mediar formações com os gestores das escolas em Teresina. Os encontros para estudo do documento referência passarão a ser semanais.

“A atualização da base curricular de acordo com o documento nacional não é apenas uma exigência legal, acreditamos que pode nos ajudar com as formações, com o acompanhamento e avaliação de desempenho. O grande destaque dessa reforma é dar ao ensino dos valores de vida a mesma importância que damos ao conteúdo científico”, concluiu Montezuma.

 

Fonte: Ascom Prefeitura de Teresina