Uespi em Tela lança primeira produção audiovisual: “Onde moram os cavalos-marinhos”


O projeto de extensão “Uespi em Tela” lançou, no sábado (5), o trailer de sua primeira produção audiovisual, intitulada “Onde moram os cavalos-marinhos”. O média-metragem, com produção executiva do cineasta Cícero Filho, contou com a participação de estudantes de diversos cursos da Uespi e foi gravado em sete cidades no Piauí e Maranhão. O trabalho será exibido pela primeira vez no dia 19 de setembro, na Sala Torquato Neto no Clube dos Diários, em Teresina.

foto_2339_121734.jpg.360x243_q85

Mais que um curso voltado para exibição de filmes, o projeto de extensão “Uespi em Tela”, desde o início, preocupa-se em levar para todos os seus participantes, conhecimentos relacionados a cinematografia piauiense. Com oito meses de existência, o curso já abordou atividades voltadas à produção de roteiros para audiovisual, técnicas cinematográficas e outros assuntos promovendo a apropriação do conhecimento necessário para que os alunos da Uespi possam realizar suas próprias produções. O trabalho desenvolvido ao longo desses meses resultou no média-metragem “Onde moram os cavalos-marinhos”.

O filme aborda a temática introspectiva, a busca da felicidade e onde se encontrar as respostas. O média-metragem trata de forma sensível, a trajetória de quatro jovens: Benício (Péricles Sabóia), Artur (Alex Sandro Leão), Verônica (Magda Barbosa) e Laís (Anna Karoline Dourado) que, juntos, vão ao litoral do Piauí e como cada um deles compartilha suas experiências de vida, suas parcelas de sucesso, amor, conflitos. A narrativa se desenvolve a partir do relato dos personagens, construindo assim, uma relação de amizade e amor.

O cineasta Cícero Filho reuniu, por quase seis meses de gravações, uma equipe de 18 profissionais, entre eles estudantes de jornalismo, psicologia, biblioteconomia, direito da Uespi e de outras instituições, além da comunidade externa, para participarem da produção do filme. Durante as filmagens, os alunos atuaram no elenco e produção interagindo com a comunidade.

Muitos dos envolvidos com o projeto não são atores e não possuem grande experiência na área de produção audiovisual. Entretanto, isso não foi empecilho. Segundo Cícero Filho, foi um prazer oportunizar aos alunos o envolvimento com o cinema. “Eu adoro transmitir conhecimento e oportunizar essas experiências a alunos que não são artistas e tem interesse de saber como funciona o cinema. Foram descobertos muitos talentos e acredito que serão de grande utilidade para a vida de cada um, de como lidar com as dificuldades e resolver problemas”, acrescenta.

“Fizemos um intercâmbio com atores profissionais onde foram transmitidos conhecimentos técnicos de encenação. Por fim, os alunos participaram em todos os seguimentos desde atuação, produção e direção, todos estiveram envolvidos” revela o cineasta.

A estudante de Biblioteconomia da Uespi e diretora-geral do curta, Jeniffer Torres, que também atuou nas gravações, narrou sobre sua participação no projeto. “Essa extensão possibilitou tornar o cinema como ferramenta socioeducativa e contribuiu bastante para minha formação como aluna, trouxe abordagens presentes nos personagens como acessibilidade, família, as questões LGBT, e o sonho do jovem hoje”, enfatizou.

As filmagens contaram com o apoio da pessoas que cederam suas casas para servirem de locações nos municípios de Teresina, Campo Maior, Altos, José de Freitas, Parnaíba e Barra Grande-PI e Timon -MA. O filme idealizado por Cícero Filho, já recebe boa aceitação. O trabalho reuniu, com esmero, uma trilha sonora poética.

Com a direção-geral de Jeniffer Torres e roteiro de Ricardo Oliveira Saraiva, a primeira exibição acontece no Clube dos Diários para autoridades, familiares, imprensa e elenco.

 

Mais detalhes na página e no canal do filme.

 

Fonte: CCom Piauí