Alunos ocupam reitoria da UFPI após cancelamento de vestibular para curso do Procampo


Pelo menos 80 alunos do curso de Licenciatura em Educação do Campo ocuparam nesta terça-feira (8) a reitoria da Universidade Federal do Piauí, em Teresina, e afirmaram que só deixarão o local depois que o reitor divulgar o edital do vestibular para o curso. Segundo a assessoria de comunicação da UFPI, o curso faz parte do programa Procampo, cancelado pelo governo federal no ano passado.

Porta da reitoria foi quebrada quando alunos chegaram. Foto: Gilcilena Araújo/G1
Porta da reitoria foi quebrada quando alunos chegaram. Foto: Gilcilena Araújo/G1

Quando chegaram, os alunos afirmaram que houve confronto com a guarda da UFPI. Com a discussão, a porta da entrada da reitoria, que é de vidro, foi quebrada. Alguns estudantes afirmam terem sido agredidos. Os seguranças não se identificaram, mas também relataram terem sofrido agressões. Uma professora afirmou que foi hostilizada ao tentar registrar um vídeo do momento da ocupação. Ninguém ficou ferido.

Segundo o aluno Sávio Santos Tabajara, o protesto acontece porque o reitor Arimateia Dantas se comprometeu ainda no ano passado a divulgar um edital para o curso, mesmo se o governo federal cancelasse o programa nacionalmente. Contudo, afirma que há um ano não ocorre a seleção.

“Esse curso fazia parte do Programa de Apoio à Formação Superior em Licenciatura em Educação do Campo (Procampo) e quando a UFPI foi assinar o termo para participar no programa, o reitor garantiu que se o curso fosse fechado, a UFPI teria condições de manter a oferta, já que o povo piauiense sobrevive da agricultura. O programa foi extinto e o curso ficou a cargo apenas da UFPI. Nós tememos que a não oferta do curso durante um longo período gere a extinção total e isso seria prejudicial porque agregara muito às cidades polo”, afirmou.

Universidade Federal do Piauí - UFPI. Foto: Fernando Brito/G1
Universidade Federal do Piauí – UFPI. Foto: Fernando Brito/G1

Hoje, a Licenciatura em Educação do Campo é ofertada em Teresina, Picos, Floriano e Bom Jesus. Essa é a terceira vez que os alunos ocupam a reitoria e pedem a publicação do edital. Eles destacam que as aulas dos alunos já matriculados não estão sendo afetadas.

Segundo a assessoria de comunicação da instituição, “o reitor tem total interesse em retomar o edital” e garantiu que isso será feito, mas ainda não há previsão. A assessoria lamentou ainda o fato “de os alunos terem quebrado a porta da reitoria, destruindo o patrimônio público” e disse que “a ação dos alunos não é compativel com a postura de universitários” acreditando que estão sendo “incentivados por militantes de outros grupos”.

A reitoria informou que se reunirá com um grupo de professores do curso para tratar da retomada do vestibular e buscar acordo com os alunos que fazem o protesto.

 

Fonte: G1.com Piauí