Piauí é destaque nacional em políticas de equidade


Equidade é um dos princípios fundamentais do Sistema Único de Saúde (SUS) e tem relação direta com os conceitos de igualdade e de justiça promovidos pelo Governo do Estado, ofertando atendimento e assistência diferenciados aos indivíduos que possuem mais necessidades ou que não têm fácil acesso aos serviços de saúde.

Com esse propósito, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) criou uma coordenadoria específica que pudesse reconhecer as diferenças nas condições de vida e necessidades das pessoas, e, com isso, desenvolver e implantar políticas de equidade, considerando que o direito à saúde passa pelas diferenciações sociais e deve atender à diversidade.

As políticas de equidade da Saúde desenvolvem trabalhos em linhas de atuação com a população negra, indígena, de terreiros, quilombola, cigana, em situação de rua, privada de liberdade e LGBT.

Esse trabalho desenvolvido pela Secretaria da Saúde é destaque nacional pela sua efetividade, sendo estudado pela Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz, no Rio de Janeiro. A pesquisa, desenvolvida em parceria com o Ministério da Saúde, trata sobre a qualificação da gestão estratégica e participativa no SUS.

A pesquisadora da Fiocruz, Virgínia Corrêa, esteve no Piauí analisando a atuação do comitê de equidade do Piauí. Ela foi recebida pelo secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, além de toda a equipe envolvida na implantação das políticas e representantes de movimentos sociais.

“O Governo do Piauí vem realizando excelentes ações e essa estratégia de disseminar a política junto aos municípios é um diferencial em relação aos outros estados. O diálogo dentro dos espaços da saúde, bem como o envolvimento e articulação direta dos movimentos sociais nas ações e a organização que temos aqui, é algo que precisa ser registrado pela pesquisa e ter como modelo para todo o Brasil”, ressalta a pesquisadora. O estudo envolve mais dez estados.

Capacitação e diálogo

O Piauí se destaca pelas constantes formações, seminários e palestras que realiza com os municípios sobre a aplicação dessas políticas. Ao todo, 180 municípios já foram capacitados pela secretaria. A formação é ofertada tanto para gestores de diversas instituições como para representantes de movimentos sociais e comunidade em geral. Além disso, a Saúde trabalha em articulação com outros órgãos públicos como Educação, Assistência Social e Justiça.

Por ser um eixo prioritário da secretaria, as discussões sobre a temática são constantes e trabalhadas para que essas políticas sejam implantadas em todo o Piauí.  “Sermos destaque perante o Ministério da Saúde é uma notável conquista para o Estado. Como gestor da Saúde, estou aberto ao diálogo mais próximo com os movimentos sociais, bem como priorizamos ações que levam ações de saúde para pessoas que possuem mais necessidades, ou que não têm fácil acesso aos serviços de saúde”, comemora Florentino Neto.

O governo atende a diversas reivindicações de movimentos sociais do Piauí, levando cuidados e informações sobre nutrição das crianças e adolescentes, assistência à saúde da mulher, saúde do idoso, conscientização sobre riscos de doenças transmissíveis e preservativos, além de realização de testes rápidos para DSTs. “Com esse trabalho de busca ativa dos agravos, podemos identificar as necessidades desses povos, assim podemos traçar melhores estratégias de tratamento e combate a essas enfermidades, trabalhando também a parte preventiva”, disse Gilvano Quadros, coordenador das políticas de equidade no Estado. O governo também realiza projetos de resgate social e cultural em diversas comunidades.

CCom