População carcerária do Piauí cresce 21% em dois anos e meio


Dados do Núcleo de Estatísticas do Sistema Prisional do Piauí, órgão ligado à Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), apontam que a população carcerária nos estabelecimentos penais do Estado aumentou 21,5%, de janeiro de 2015 a junho de 2017.

Em janeiro de 2015, o número total de pessoas privadas de liberdade nas 15 unidades penitenciárias do Piauí era 3.542, passando para 4.303 presos em junho de 2017. Ou seja, nesse período, a população carcerária do estado aumentou em 761 pessoas.

De acordo com o Núcleo de Estatísticas, o percentual de crescimento no número de presos tem sido progressivo. Em dezembro de 2016, o crescimento no número de presos registrado em relação a janeiro do ano anterior foi de 17%.

Segundo a Secretaria da Justiça, a taxa de aprisionamento no Piauí, hoje, é de 135 (número de presos por cada 100 mil habitantes). Em janeiro de 2015, o índice de encarceramento no estado era de 110, ou seja, essa taxa tem crescido, observando o período pesquisado.

Número de pessoas em presídios pode dobrar nos próximos 10 anos

Com base nos dados de 2015 a 2017, o Núcleo de Estatísticas do Sistema prisional destaca que a taxa média de crescimento da população carcerária do Piauí é de 6,8% ao ano. Isso significa que, em 2027, a população carcerária no estado será de 8.110 presos.

Na análise do secretário de Estado da Justiça em exercício, Carlos Edilson Sousa, a taxa de aprisionamento e o índice de crescimento populacional carcerário, da forma como estão, atualmente, “requerem uma política de reversão do encarceramento massivo urgente”.

“Essa tendência ao aprisionamento, que afeta a maior parte dos países, é sentida, também, no Piauí. O que acreditamos é que o sistema de Justiça precisa propor medidas concretas e, sobretudo, eficazes para evitar que esse número continue a avançar”, frisa o gestor.

 

CCom