Nos 50m peito do Mundial, Brasil busca primeira dobradinha no pódio da história


O Brasil conquistou 21 medalhas na história da natação nos Campeonatos Mundiais, que começaram a ser disputados em 1973. Mas, apesar de ter colocado diversas vezes dois atletas na mesma decisão, jamais dois foram ao pódio juntos. Nesta quarta-feira, o Brasil tem uma chance real de atingir tal feito, com Felipe Lima, que se classificou em segundo para a final dos 50m peito, e João Gomes, sexto, em prova que será às 12h30 (Brasília), com SporTV e tempo real do SporTV.com. O problema é que, na raia 4, tem o Adam Peaty, britânico que quebrou o recorde mundial duas vezes, nas eliminatórias e semi, e segundo o próprio João, “só perde se ele não quiser ganhar a medalha”.

João está em sua terceira final de Campeonato Mundial, foi sétimo em Roma 2009 e quinto em Barcelona 2013, enquanto Felipe já foi até o pódio, com o bronze nos 100m peito em 2013. Nesta quarta-feira, eles serão adversários, claro. Mas também parceiros:

– A gente se conversa, passa dicas um para o outro. Dá um abraço ali no call room (onde os atletas ficam antes da prova). Isso é para dar mais uma força, é uma energia muito boa. Dando dicas, mas claro, sem tirar o foco de si mesmo – disse Felipe Lima, uqe anotou 26s68 para ser o segundo melhor da semi.

Felipe Lima passa vai para a final do Mundial de Budapeste nos 50m peito (Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA)

Felipe Lima passa vai para a final do Mundial de Budapeste nos 50m peito (Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA)

Nas eliminatórias, João anotou o tempo de 26s67, quebrando o recorde das Américas. Na semifinal, foi a vez de Felipe ser o melhor da dupla, que passou em segundo com 26s68. As duas marcas estão entre as cinco melhores da história. Mas, além de Peaty, brigam pelo pódio o sul-africano Cameron Van der Burg, dono de onze medalhas em Mundiais, e Kevin Cordes, americano que tem um ouro olímpico no currículo em revezamento. Felipe prefere não colocar a lista de favoritos:

– Busco tocar na frente e o tempo vai ser consequência. Tempo é o que menos importa para a final. É cair na água para tocar na frente. Vocês viram nos 100m peito o quão está equilibrado nossa prova. Os 50m foram muito fortes também, os oito têm chances. Todos estão juntos – disse.

O recorde mundial dos 50m peito batido por Adam foi de 25s94, quase sete décimos melhor que Felipe, segundo melhor da série. João sabe que vencer o britânico será difícil:

– O Adam está praticamente com a medalha, só perde se ele não quiser ganhar a medalha. É faca entre os dentes e buscar a medalha. Fui sétimo em 2009, quinto em 2013. Se dois em dois, quem sabe eu não vou para o pódio em 2017? – disse João.

No Mundial de 2013, em Barcelona (Espanha), o Brasil fez duas dobradinhas no pódio, mas nas águas abertas, e não na piscina: Poliana Okimoto e Ana Marcela fizeram ouro e prata nos 10km, além de prata e bronze nos 5km.

Além da final dos 50m peito, nesta quarta-feira também serão realizadas as semifinais dos 100m livre, com Gabriel Santos e Marcelo Chierighini, e dos 50m costas, com Etiene Medeiros.

João Gomes vai nadar a final dos 50m peito no Mundial (Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA)

João Gomes vai nadar a final dos 50m peito no Mundial (Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA)

Fonte: Agência Brasil