Hospital do Matadouro passa por reforma para modernizar estrutura física


O Hospital Dr. Ozéas Sampaio, do bairro Matadouro, zona Norte, está passando por reforma para melhorar o atendimento, seguindo adequações e exigências do Ministério da Saúde. A obra está na fase de finalização de demolição da ala de internação primeira etapa.

A obra, que tem investimento previsto em R$ 3.331.591,90, terá duas etapas. A primeira etapa consiste em reformar a parte de internação do hospital. A segunda etapa reformará a parte de urgência. “Para que o serviço não pare. Nossa urgência e emergência continuam funcionando, remanejamos somente a parte ambulatorial, ou seja, as consultas eletivas (agendadas), que não acontecem mais no local”, explica Ozinete Moura, diretora do Hospital do Matadouro.

Os recursos para a obra da unidade de saúde são provenientes do Ministério da Saúde e da Prefeitura de Teresina. Serão R$ 909.391,90 de recursos municipais e R$ 2.422.200,01 de recursos federais. Ao final da obra de reforma do Hospital Dr. Ozéas Sampaio a unidade contará com 45 leitos, nove deles para observação e 36 para internações.

“Fizemos um projeto inicial da unidade de saúde para que tivesse 50 leitos, mas não foi possível devido à falta de espaço para construir. Mas com esse projeto atual pretendemos modernizar a estrutura física, porque está com uma estrutura muito antiga. Queremos um hospital moderno e com uma parte tecnológica renovada e atendimento 24 horas”, explana Jesus Mousinho, diretora de assistência especializada da Fundação Municipal de Saúde.

Um necrotério humanizado será criado na unidade de saúde do Matadouro, uma forma de melhorar o acolhimento das famílias no momento que perdem um ente querido.  A gerência de nutrição do hospital vai mudar de lugar, para que o fluxo técnico/médico, pacientes e gêneros alimentícios não se misturem. Uma central de gerenciamento de resíduos será criada, para acondicionar da maneira mais adequada o lixo hospitalar.

Uma inovação que será instalada no Hospital do Matadouro é a cobertura de toda a unidade com telhas termo acústicas, para melhorar o conforto estético, auditivo e térmico. Uma parte específica para o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) será criada para que os profissionais possam ter melhores alojamentos para repouso. Uma área de descanso também será criada na portaria, já que dois servidores trabalham em escala de plantão e revezam nos serviços de portaria.

O piso do Hospital Dr. Ozéas Sampaio será todo em porcelanato, seguindo recomendação técnica do Ministério da Saúde e da Vigilância Sanitária. Todos os acabamentos do hospital foram pensados para atender as especificações dos órgãos acima.

 

Ascom