Detentos ajudam em limpeza e reforma de escola no Lourival Parente


Oito reeducandos da Colônia Agrícola Major César Oliveira, unidade penal de regime semiaberto, iniciaram, na última quarta-feira (19), a limpeza e parte da reforma do Colégio Estadual Lourival Parente, que fica no bairro de mesmo nome, zona sul de Teresina.

A atividade está dentro do Projeto Trabalhar, fruto de parceria entre as secretarias de Estado da Justiça e da Educação e que tem como objetivo utilizar mão de obra de detentos para ajudar em melhorias estruturais em escola e outros órgãos públicos.

O projeto teve início em março deste ano, quando os reeducandos fizeram a limpeza de quatro escolas no bairro Dirceu e uma no Monte Castelo. Segundo o secretário da Justiça em exercício, Carlos Edilson Sousa, a meta é ampliar o projeto para outros setores.

“Nossa meta é fortalecer a iniciativa, por meio de novas parcerias, e ampliar a atuação, ou seja, levar o trabalhar para ajudar a comunidade em outras frentes, como reforma de praças, capina de ruas, dentre outras atividades”, explica o gestor.

A diretora da escola, Jocielma Magalhães, elogia a iniciativa. “Há tempos buscávamos resolver o problema da limpeza e da pintura. Esse projeto vai nos ajudar, inclusive, a reduzir, significativamente, os custos para realizar os serviços”, relata a professora.

O reeducando Ribamar Pereira, que já está preso há 18 anos, afirma que o trabalho no presídio ajuda a melhorar o comportamento e dá oportunidade para quando terminar de cumprir a pena. “Eu já fiz cursos na Major César e já trabalho na agricultura, pois gosto muito”, diz Pereira.

De acordo com a Secretaria da Justiça, participam do Projeto Trabalhar detentos voluntários. O trabalhar obedece a Lei de Execução Penal (7.210/84) que permite o trabalho da pessoa privada de liberdade e dispões sobre a redução de penas, nesses casos.

 

Ccom