Justiça adia mais uma vez retorno do doleiro Lucio Funaro ao presídio


O doleiro Lucio Funaro conseguiu mais um adiamento de seu retorno ao presídio da Papuda, em Brasília. A Justiça Federal em Brasília autorizou que ele fique na superintendência da Polícia Federal até o dia 28 de julho.

Funaro foi para a PF no dia 5 de julho, com previsão de sair dia 14. A primeira prorrogação deu a ele o direito de ficar até esta quarta-feira (19). Com a nova decisão, é o segundo adiamento do retorno dele ao presídio. Agora Funaro só vai sair no dia 28.

Ele é apontado pelas investigações da Operação Lava Jato como operador de supostos pagamentos de propina ao ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB). O doleiro também foi citado na delação do dono da JBS, Joesley Batista.

A procuradoria da República no DF pediu a prorrogação para colher novos esclarecimentos a respeito de fatos decorrentes das operações conduzidas pelo Ministério Publico (operações Sépsis e Cui Bono). Mas, reservadamente, investigadores confirmam que a prorrogação também facilita que o doleiro escreva anexos da sua delação com seus advogados. A proposta ainda não foi encaminhada à Procuradoria-Geral da República .

Quando Funaro foi para a superintendência da Polícia Federal em 5 de julho, o objetivo era que ficasse a disposição dos investigadores que investigam o suposto envolvimento do doleiro com esquemas de corrupção.

Além disso, a rápida estadia de Funaro pela superintendiência da PF facilitou na negociação do acordo de delação premiada que ele está costurando com a Procuradoria Geral da República.

Investigadores dizem que a prorrogação do período de Funaro na Polícia Federal permitirá que ele continue elaborando, com sua defesa, os anexos da delação e, ainda preste depoimentos à PF – na quinta-feira (13), o juiz Vallisney Oliveira, ao negar o segundo pedido de prisão do ex-ministro Geddel Vieira Lima, determinou que o doleiro seja ouvido novamente.

Fonte: G1