Curso de Extensão do Piauí é selecionado para o Prêmio Innovare


O projeto de extensão acadêmica Direito Previdenciário na Comunidade, idealizado pela professora de Direito Previdenciário e Constitucional, Dra. Auricelia Melo, foi selecionado para a segunda fase do Prêmio Innovare, que identifica, divulga e difunde práticas que contribuem para o aprimoramento da Justiça no Brasil. O advogado Marco Lara, consultor do Prêmio, esteve no Centro Universitário Uninovafapi, para analisar as informações e a importância do projeto para a Justiça.

Em execução desde 2014, a professora Dra. Auricelia Melo conta que o projeto surgiu da necessidade de mostrar para os alunos a importância de difundir informações a respeito do Direito Previdenciário para pessoas que não têm acesso. O projeto se utiliza de cartilhas educativas com linguagem simples e ilustrações, aliadas às palestras, que são ministradas pelos alunos do 9º período do curso de Direito, em vários bairros de Teresina e em cidades circunvizinhas, como é o caso de Timon, no Maranhão.

Escolas, Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), hospitais e rádios comunitárias são palcos das atividades que têm como principal finalidade explicar os benefícios previdenciários. Conhecimentos teóricos estudados em sala de aula e a prática nesses ambientes se aliam para contribuir na formação da cidadania de pessoas que desconhecem esses direitos.

A cartilha utilizada no projeto é inspirada em um personagem fictício chamado Vovô Silva, que, ao chegar o momento de sua aposentadoria, não sabe como proceder e precisa de orientação. Os diálogos desenvolvidos ao longo da cartilha vão explicando cada um dos benefícios da Previdência e os principais pontos sobre os segurados da Previdência e de seus dependentes, além de natureza assistencial, como é o caso o benefício de prestação continuada.

Para a autora do projeto, Dra. Auricelia Melo, é importante que os alunos, que são futuros profissionais, tenham esse contato com o público e notem as necessidades da população que, em sua maioria, desconhece os direitos previdenciários. Sobre a seleção do projeto pelo Prêmio Innovare, a professora diz ser uma satisfação muito grande. “Só em estar participando já estou muito satisfeita, porque é uma atividade que vem sendo feita com regularidade e muita dedicação. Se o prêmio vier, ótimo, se não, nós teremos divulgado uma prática que contribui para que os nossos alunos saiam do Centro Universitário com uma visão bem prática do Direito e da vivência da advocacia. Então isso eu já considero um prêmio”, pontua.

Após a apresentação do projeto, o consultor do Prêmio, Marco Lara, pontuou que o Direito Previdenciário na Comunidade beneficia não só a sociedade, como também os alunos que participam da prática social. “Esse aspecto de informação é importantíssimo”, complementa o advogado.

Segundo a coordenadora do curso de Direito do Centro Universitário, Profa. Dra. Joana Machado, vários outros projetos do curso foram pensados a partir do Direito Previdenciário na Comunidade. Ela destaca que o projeto de extensão é de extrema importância para o curso e para a instituição pela visibilidade nacional e internacional do Prêmio, uma vez que boas práticas de todo os país são avaliadas. “Isso demonstra a criatividade e a atualidade dos nossos professores, no sentido de saber a importância de aliar teoria à prática. O projeto da professora Auricelia faz com que a comunidade seja informada dos seus direitos previdenciários e ainda desperta dos nossos alunos o interesse pela área”, relata.

François Lima é ex-aluno da instituição e participou do projeto em 2014, ele conta que o projeto de extensão mudou sua vida. “Essa experiência foi tão importante para mim que, assim que eu terminei o curso, já comecei a trabalhar na área de Direito Previdenciário e hoje sou pós-graduando, e tudo começou a partir desse projeto”, lembra.

O Prêmio

Em sua 14º edição, o Prêmio Innovare tem como finalidade identificar, premiar e difundir boas práticas que são pensadas por profissionais de áreas vinculadas direta ou indiretamente à Justiça.

“Tudo que traz resgate de cidadania, direitos básicos do cidadão, que levam informação e representam uma atitude que extrapola as funções normais do dia a dia desses profissionais é motivo de interesse para o Prêmio Innovare, para que se possa premiar essas iniciativas e difundir essas boas práticas para que elas sejam aplicadas em outros estados brasileiros”, informa Marco Lara.