Estressado? Priorizar descanso e reduzir volume pode ser melhor que treinar duro


Quem tem como objetivo treinar de forma regular e buscar bons resultados individuais (independentemente do nível de condicionamento) deve seguir uma rotina mais saudável, cuidando da alimentação e do sono com a mesma seriedade dos treinos. Ficar de olho na recuperação é estar sob controle com relação à quantidade de treinos que você deve fazer em cada fase do seu ano. Cada treino, individualmente, tem a sua importância, mas quando você consegue passar um ano, dois anos, três anos treinando de forma regular, tem mais munição para alcançar metas ambiciosas. Confira abaixo duas situações onde o seu bom senso pode fazer a diferença entre se manter treinando ou se machucar de bobeira.

1. Controle o estresse

Quando o seu corpo é sobrecarregado com situações de estresse, pessoais ou de trabalho, pode acontecer de você sofrer com a falta de energia para treinar. Além disso, seu corpo fica, em alguma proporção, mais suscetível a infecções (como as de garganta, por exemplo) e lesões. Isso significa que se você está passando por algum período de estresse pesado na vida é fundamental tentar comer e dormir o melhor possível, mesmo que isso seja extremamente difícil, tem que ser uma prioridade. E se realmente não consegue ajustar isso, reduza o seu volume de treino até ter tempo para equilibrar treino com descanso. É melhor passar um tempo treinando menos e respeitando a limitação do momento do que acabar se machucando e ficar sem treinar nada.

Dormir o melhor possível tem que ser uma prioridade (Foto: Getty Images)

Dormir o melhor possível tem que ser uma prioridade (Foto: Getty Images)

2. Treino duro pede recuperação

Dias de treino muito puxado devem ser seguidos por dias mais fáceis para o seu corpo se recuperar. Uma boa sugestão para potencializar a sua recuperação, ao longo do ano, é ter uma semana de treinos mais leves por mês, durante a qual você reduz a intensidade e a duração dos seus treinos. Uma outra estratégia é trocar um dia de trote regenerativo por uma pedalada confortável, por exemplo, depois desse treino mais difícil. Você terá os benefícios do aumento do fluxo sanguíneo nas pernas, que estão relacionados a uma recuperação mais suave e eficiente, mas sem o estresse do impacto da corrida.

Pedalar no dia seguinte a um treino pesado é melhor do que fazer uma corrida leve (Foto: Getty Images)

Pedalar no dia seguinte a um treino pesado é melhor do que fazer uma corrida leve (Foto: Getty Images)

Fonte: Globo Esporte