Construção de binário leva também melhorias estruturais ao Renascença


A Prefeitura de Teresina iniciou mais uma etapa das obras de implantação do binário (ruas paralelas que operam em sentido oposto) que compreende as avenidas Doutor Pedro Teixeira Castelo Branco e Noé Mendes, no bairro Renascença. Essa etapa compreende a construção e reforma das calçadas em toda a sua extensão facilitando a locomoção dos pedestres e priorizando a acessibilidade.
Os serviços estão sendo coordenados pela Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sudeste (SDU/Sudeste) Com recursos oriundos do Programa de Aceleração do Crescimento segunda etapa (PAC 2) – Pavimentação e Qualificação de Vias Urbanas, serão gastos cerca de R$ 1.800.000.
De acordo com o projeto a ser executado na área, entre as intervenções está a adequação das calçadas existentes e a construção de novas ao longo da Horta Comunitária. Serão mais de quatro quilômetros de calçadas que receberão pavimento em concreto com junta de dilatação, piso tátil e rampas de acessibilidade. Esse material foi escolhido por apresentar fatores como durabilidade, resistência a tráfego de pessoas, facilidade de manutenção e economia.
Antonia Moraes, moradora do bairro Renascença relata a importância da obra para a região. “Era uma intervenção muito esperada porque a locomoção é sempre um problema para quem é mais velho ou para quem tem necessidades especiais. Ao finalizar essa obra será possível caminhar sem sustos e além de deixar a cidade muito mais bonita e organizada”, afirmou.
Além das calçadas houve melhoramento da infraestrutura. Aproximadamente 3,2km de extensão de avenida ganhará pavimentação asfáltica, sinalização específica e recuperação de canaletas em toda a via.
Para o superintendente da SDU Sudeste, Evandro Hidd, essa obra do binário é uma melhoria na mobilidade urbana da zona Sudeste. “Com a conclusão do binário as duas faixas da Avenida Noé Mendes passarão a ser mão única. E com isso nosso objetivo é oferecer mais qualidade de vida à população e melhores condições de tráfego. Criando novos acessos e diminuindo o tempo gasto nos percursos”, explica Evandro Hidd.