Mulher tem dois tons de pele e dois sistemas imunitários por ter se ‘fundido’ com sua irmã gêmea no útero da mãe


A norte-americana Taylor Muhl, de 33 anos, sempre desconfiou de uma mancha enorme que carrega no tronco desde que nasceu. Mas jamais imaginou que ela era quimerismo, uma condição genética raríssima – estima-se que haja apenas 100 casos humanos em todo o mundo.

Ao assistir, por acaso, a um documentário sobre o assunto, Taylor resolveu investigar sua mancha, e acabou descobrindo que o óvulo que a gerou absorveu outro óvulo – da sua irmã – ainda no útero da sua mãe. O resultado foi um óvulo com dois sistemas de ADN distintos.

Isso faz com que Taylor tenha dois sistemas imunitários e linfáticos independentes, além da diferença de tom de pele no tronco – caso mais raro ainda, já que a maioria dos portadores de quimerismo apresentam apenas sintomas internos ou pequenas manchas no corpo.

Por conta dos dois sistemas imunológicos, a jovem, que quando pequena era obcecada por gêmeos, perguntando sempre aos seus pais se ela tinha uma irmã gêmea, acaba sofrendo muitos mais com resfriados, cólicas menstruais e alergias, já que suas células estão sempre lutando umas com as outras.

Imagens © Reprodução Facebook/Youtube The Doctors

 

Fonte: Hypeness