Fifth Harmony sobre novo disco: “É mais maduro e empático, baseado em nossas experiências”


O Fifth Harmony está na capa da Cosmopolitan México. Na publicação, elas falaram sobre a preparação do terceiro disco da carreira, dessa vez as meninas tiveram mais liberdade criativa na produção, e também sobre poder feminimo

cosmo-fifth

Ally, Dinah, Lauren e Normani estão bem orgulhosas do novo trabalho.

“Tivemos a oportunidade de começar desde cedo e criar um som único para o Fifth Harmony. É nosso terceiro álbum, já adquirimos experiência da indústria, e de outros artistas. É mais maduro e empático, baseado em nossas experiências“, disse Normani.

“Estamos muito orgulhosas deste álbum e animadas de compartilhá-lo com os fãs. Sem dúvidas, eles são a nossa inspiração”, contou a Ally.

É o primeiro disco delas desde a saída da Camila Cabello, em dezembro de 2016.

“Me conhecer como compositora tem sido genial. Desafiar a mim mesma a encontrar a essência de Fifth Harmony e buscar como beneficiar a todas tem sido o mais legal”, contou a Lauren.

O primeiro single do Fifth Harmony como quarteto chega na sexta-feira, que supostamente leva o nome de “Down”.

Não foi só do disco que elas falaram, rolou um papo bem legal sobre empoderamento das mulheres. A Normani comentou que acha muito importante o poder feminino que o grupo carrega.

“Acredito que a base do Fifth Harmony representa o girl power e apoia outras mulheres, é o reflexo do que somos. Nos conhecemos, em 2012 no ‘The X Factor’ com um objetivo em comum, e lá o tornamos realidade. Eu acredito que como figuras públicas é nossa responsabilidade e o mundo realmente escuta o que temos a dizer. Nosso trabalho é ser um exemplo do que representamos no dia a dia, que é amar o próximo e tirar um tempo para dizer: ‘Eu amo como você se arrumou hoje’, ‘eu gosto de seu estilo’, ‘você está indo muito bem’. Podem pensar que odiamos umas as outras pelo fato de sermos mulheres, mas, na verdade, é possível ser poderosa sem ter que ofuscar as outras”

Já a Lauren comentou outro ponto do poder feminino, ela foi questionada se o feminismo é o oposto de ser sexy.

“Não sei por que alguém pensaria isso. Acredito que o feminismo é incrivelmente sexy. Acho muito atraente quando as pessoas se preocupam com os direitos dos demais. Acho que é maravilhoso quando nos tornamos empáticos, seja com um homem ou com uma mulher. As meninas que entendem seu poder e sua fortaleza, e que escolhem lutar pelo que merecem, são lindas. E um homem que consegue reconhecer que existe muito machismo no mundo é ultrasexy”

Arrasaram no discurso!

 

Fonte: Papel Pop