Imagens mostram exercício de artilharia realizado no aniversário do Exército


Imagens veiculadas pela TV estatal KRT nesta quarta-feira (26) mostram o exercício militar de artilharia com fogo real realizado pela Coreia do Norte no 85º aniversário da fundação de seu Exército. As imagens mostram que um grande número de unidades de artilharia foram mobilizadas na região de Wonsan, em sua costa leste.

Segundo o Exército da Coreia do Sul, as artilharias são de longo alcance. Jornalistas independentes não tiveram acesso para cobrir o evento registrado nas imagens.

Fontes da agência sul-coreana “Yonhap” disseram nesta terça que este foi “o maior exercício de tiros” até agora. O líder norte-coreano Kim Jong-un teria participado das manobras, onde teria testado artilharia de longo alcance, de acordo com uma fonte do governo citada pela agência.

Foto distribuída nesta quarta-feira (26) pelo governo da Coreia do Nortes mostra exercício de artilharia com fogo real realizado por ocasião do aniversário de seu Exército (Foto: Korean Central News Agency/Korea News Service via AP)

Foto distribuída nesta quarta-feira (26) pelo governo da Coreia do Nortes mostra exercício de artilharia com fogo real realizado por ocasião do aniversário de seu Exército (Foto: Korean Central News Agency/Korea News Service via AP)

A Coreia do Norte tem uma base aérea em Wonsan e mísseis também já foram testados na região.

O exercício militar norte-coreano chega em um momento de tensão na região por conta dos testes armamentícios de Pyongyang e o crescente temor que o país asiático realize um novo teste nuclear que aumente a crise com os Estados Unidos.

Coreia do Norte realizou exercício militar por ocasião do aniversário do Exército e em meio a tensão com os Estados Unidos (Foto: KRT via AP Video)

Coreia do Norte realizou exercício militar por ocasião do aniversário do Exército e em meio a tensão com os Estados Unidos (Foto: KRT via AP Video)

Tensões com os EUA

No mesmo dia em que os exercícios militares foram conduzidos, o submarino americano USS Michigan, com mísseis guiados, chegou à Coreia do Sul.

Além do submarino, os EUA enviaram à península da Coreia o porta-aviões americano Carl Vinson, em resposta aos contínuos testes balísticos norte-coreanos.

A KRT, emissora estatal da Coreia do Norte, divulgou nesta quarta-feira (26) imagens do exercício militar realizado no país (Foto: KRT via AP Video)

A KRT, emissora estatal da Coreia do Norte, divulgou nesta quarta-feira (26) imagens do exercício militar realizado no país (Foto: KRT via AP Video)

A embarcação e sua frota de ataque se encontram atualmente realizando exercícios conjuntos estratégicos com tropas japonesas no Pacífico e planejam se aproximar da península da Coreia no final desta semana.

Exercícios dos EUA e Coreia do Sul

De acordo com a agência Efe, forças da Coreia do Sul e dos Estados Unidos realizaram nesta quarta, um dia após o exercídio da Coreia do Norte, uma de suas maiores manobras conjuntas com fogo real já efetuadas até então. As imagens forsam divulgadas pela agência Associated Press.

Tanques dos EUA disparam nesta quarta-feira (26) durante exercício conjunto com forças da Coreia do Sul em Pocheon, perto da fronteira com a Coreia do Norte (Foto: AP Photo/Ahn Young-joon)

Tanques dos EUA disparam nesta quarta-feira (26) durante exercício conjunto com forças da Coreia do Sul em Pocheon, perto da fronteira com a Coreia do Norte (Foto: AP Photo/Ahn Young-joon)

Os exercícios foram feitos no condado de Pocheon, com manobras previamente programadas que fazem parte das simulações conjuntas que Seul e Washington fazem em cada ano no território sul-coreano.

Participaram 30 helicópteros, 90 tanques e veículos blindados, 30 caças e cerca de 2 mil militares participaram dos exercícios, que simulam uma resposta relâmpago a um possível ataque norte-coreano sobre postos de guarda da Coreia do Sul.

Exército da Coreia do Sul dispara foguetes durante exercíco militar conjunto com os EUA nesta quarta-feira (26) em Pocheon (Foto: AP Photo/Ahn Young-joon)

Exército da Coreia do Sul dispara foguetes durante exercíco militar conjunto com os EUA nesta quarta-feira (26) em Pocheon (Foto: AP Photo/Ahn Young-joon)

Também foram implantadas várias unidades de lança-foguetes múltiplos M270 dos EUA, um temido lançador motorizado e blindado que disparou diversos mísseis durante estes jogos de guerra.

Sistema antimíssil

 Sistema antimísseis americano para defender Coreia do Sul gera polêmica

Nesta quarta, militares dos Estados Unidos começaram a transferir partes do sistema antimíssil THAAD para o sul da Coreia do Sul, desencadeando protestos de moradores de vilarejos e críticas da China.

O Ministério da Defesa da Coreia do Sul informou que elementos do Thaad foram levados ao local de instalação, que antes abrigava um campo de golfe e se localiza cerca de 250 quilômetros ao sul da capital Seul.

No ano passado, os EUA e a Coreia do Sul concordaram em acionar o Thaad em contraposição aos mísseis lançados por Pyongyang. Os dois aliados afirmam que seu único objetivo é ter uma defesa contra os norte-coreanos.

Mas a China diz que o radar avançado do sistema pode penetrar fundo em seu território e minar sua segurança, ao mesmo tempo em que fará pouco para conter o Norte, e se opõe a ele de maneira inflexível.

Porta-aviões chinês

Pequim lançou oficialmente nesta terça seu segundo porta-aviões, o primeiro construído totalmente nos estaleiros chineses, informou a agência oficial de notícias Nova China. A agência de notícias não revelou quando o navio, produzido nos estaleiros de Dalian, no nordeste do país, entrará em serviço, ou que nome terá.

China apresenta seu novo porta-aviões nesta quarta-feira (26), o primeiro feito totalmente no país (Foto: Li Gang/Xinhua via AP)

China apresenta seu novo porta-aviões nesta quarta-feira (26), o primeiro feito totalmente no país (Foto: Li Gang/Xinhua via AP)

O porta-aviões terá propulsão convencional e não nuclear, e transportará principalmente os Shenyang J-15, o avião de combate da força aeronaval chinesa, segundo o ministério da Defesa.

Serão necessários cerca de dois anos até que o novo porta-aviões esteja completamente equipado para realizar seus primeiros testes no mar, opinou a especialista em China do Instituto de Pesquisa Estratégica da Escola Militar francesa, Juliette Genevaz.

A China já dispunha de um porta-aviões, o “Liaoning”, cujo casco foi fabricado na antiga União Soviética.

‘Todas as opções sobre a mesa’

A Coreia do Norte disse na segunda (24) que reforçará suas “medidas nucleares de auto-defesa”, após a ordem de Washington de enviar para a península coreana o porta-aviões Carl Vinson.

As forças armadas da Coreia do Norte “responderão com golpes mortais” e resistirão “qualquer tentativa de guerra total com um ataque nuclear sem piedade”, disse o regime.

O presidente americano Donald Trump e vários altos funcionários de sua administração advertiram a Coreia do Norte que “todas as opções estão sobre a mesa” no caso dos programas nuclear e balístico de Pyongyang, incluindo a opção militar.

Trump afirmou na segunda-feira que o Conselho de Segurança da ONU deveria “estar preparado” para impor novas sanções a Pyongyang. A ONU já aprovou seis séries de sanções contra a Coreia do Norte.

Já o presidente da China, Xi Jinping, pediu que todos os lados demonstrem cautela. A China é a única aliada da Coreia do Norte, mas tem expressado revolta com seus programas nuclear e de mísseis e frustração com a beligerância do regime.

Fonte: G1