Na volta aos meio-médios, Pitbull avisa Côté: “Vai ser maneiro bater nele”


O retorno de Thiago Pitbull ao peso-meio-médio (até 77kg) parece ter enchido o lutador de motivação. Neste sábado, ele volta ao octógono para enfrentar Patrick Côté no UFC 210, em Buffalo (EUA), e otimismo não falta. Em entrevista ao Combate.com, o atleta da American Top Team (ATT) ignorou os reveses nos últimos dois compromissos e prometeu que o canadense terá vida difícil no duelo.

– A preparação está do caramba, já fiz o último sparring e estou pronto. Achei maneira a luta, o Côté é experiente, tem muito tempo de UFC, então acho que vai ser maneiro bater nele. É um cara que tem uma trocação ok, o chão ok, o wrestling ok, começou a usar mais o wrestling nessa categoria, é um cara duro, mas sou melhor que ele em todos os cantos. É só impor meu jogo e pegar a vitória. Eu acho muito difícil ir para distância. Se for para a distância, ele vai tomar um pau por 15 minutos, mas acho que finalizo no primeiro round ou no máximo no segundo round. Vai ser nocaute. O juiz vai me tirar de cima – garantiu.

Thiago Pitbull (Foto: Jason Silva)
Thiago Pitbull prometeu vitória dominante sobre Patrick Côté (Foto: Jason Silva)

As declarações confiantes contrastam com seu cartel recente. Vindo de resultados negativos contra Carlos Condit, nos meio-médios, e Jim Miller, quando tentou de forma frustrada descer para os leves e não conseguiu bater o peso, Pitbull diz não se sentir pressionado e se vê em condições de retomar a rota para disputar o cinturão novamente.

Thiago Pitbull tomada oficial de peso UFC 205 (Foto: Jason Silva)
Thiago Pitbull teve problemas para bater o peso no UFC 205 (Foto: Jason Silva)

– Não me preocupo com a minha situação no UFC. Sei o valor que tenho como lutador, isso não me preocupa. A última luta não contou, foi uma situação horrível para mim, numa categoria que não consegui bater o peso. Muita coisa deu errado na semana da luta, um mês antes também, meio que foi um mal que veio para o bem. Hoje em dia estou muito melhor na minha categoria de origem, é uma parada que não deu certo e vou mostrar que essa é a minha divisão e bater nesses caras. Estou novo ainda, me divertindo, tenho muita experiência, muitos anos de UFC, acho que dá pra fazer mais ainda. Minha meta sempre é pegar o cinturão. Eu me tirei do ranking só duas vezes. Uma quando passei dois anos sem lutar, fiz quatro cirurgias, uma atrás da outra, e a segunda foi agora, descendo de peso. Mas sempre lutei com os melhores, vou voltar para o ranking, sei que tenho condição de ser campeão nessa categoria ainda, é só questão de tempo e de voltar a ativa – declarou o lutador, que lutou pelo título em 2009, mas foi superado pelo então campeão Georges St-Pierre.

A questão do corte de peso foi o maior dos problemas de Thiago Pitbull em novembro, quando enfrentou Jim Miller. Na pesagem, o brasileiro ficou 3kg acima do limite dos leves e, para o combate acontecer, teve que aceitar que só poderia recuperar 4,5kg até a hora da luta no UFC 205, em Nova York (EUA). A consequência de não ter conseguido cumprir o que planejava causou seu rompimento com Mike Dolce, nutricionista que o acompanhou por mais de seis anos.

– Não foi nada com o treinamento, foi no corte de peso mesmo. Eu trabalhava com meu nutricionista, a gente planejou essa parte de perder o peso por quase um ano. Um mês antes, ele decide que não ia fazer o que prometeu fazer. Tive que mudar totalmente o método do que fazia com ele para trabalhar com outra companhia, um trabalho totalmente diferente que meu corpo não se adaptou. Não conseguia reidratar. Depois que souberam que eu não ia bater o peso, botaram um limite no meu peso, não podia ganhar mais de 4,5kg. Passei 36h sem dormir antes da luta. Lutei 30% hidratado. Lutar nas condições que lutei é impossível. Considerando tudo que passei, perdi só nas quedas, pensava em nocautear, mas acho que me apresentei muito bem pela condição que eu tinha. Hoje em dia estou mais forte e preparado. Vou para cima e vou para quebrar geral. Ele (Mike Dolce) estava comigo há mais de seis anos. Perguntei se ele ia poder cumprir o que falou que ia, mas de última hora inventou uma desculpa e não podia. Desandou o barco todo – disparou, acrescentando que não considera um erro ter tentado ir para o peso-leve.

– Não foi um erro porque eu tentei. Não foi um erro, nem acerto, foi algo para aceitar. Vi a oportunidade, tentei, infelizmente não deu certo, mas o bom disso é que consegui perder de 5 a 7kg de peso que não pertenciam ao meu corpo. Hoje em dia ando com 84kg, é bem mais fácil de perder o peso, vai me deixar mais ativo, vou lutar bem mais durante o ano que é o que sempre quis – concluiu.

O UFC 210 acontece no próximo dia 8 de abril, e o Combate transmite ao vivo e com exclusividade. Confira o card completo e atualizado:

UFC 210
8 de abril, em Buffalo (EUA)
CARD PRINCIPAL (a partir de 23h, horário de Brasília):
Peso-meio-pesado: Daniel Cormier x Anthony Johnson
Peso-médio: Chris Weidman x Gegard Mousasi
Peso-palha: Cynthia Calvillo x Pearl Gonzalez
Peso-meio-médio: Thiago Pitbull x Patrick Côté
Peso-leve: Will Brooks x Charles do Bronx
CARD PRELIMINAR (a partir de 19h15, horário de Brasília):
Peso-pena: Myles Jury x Mike de la Torre
Peso-meio-médio: Kamaru Usman x Sean Strickland
Peso-pena: Shane Burgos x Charles Rosa
Peso-meio-pesado: Patrick Cummins x Jan Blachowicz
Peso-leve: Josh Emmett x Desmond Green
Peso-leve: Gregor Gillespie x Andrew Holbrook
Peso-galo: Katlyn Chookagian x Irene Aldana
Peso-mosca: Magomed Bibulatov x Jenel Lausa

 

Fonte: Globo Esporte