Sem apoio e lavando carros, judoca piauiense é destaque no Esporte Espetacular


Na última semana, Emerson ficou em terceiro lugar numa seletiva disputada em São Paulo, o que garantiu vaga na seleção brasileira de judô

Mesmo com história “à margem” do país, piauiense é retratado como promessa do judô brasileiro em Teresina. A história do atleta foi contada pela Rede Globo, em reportagem especial do Esporte Espetacular deste domingo (02/04). Emerson Nascimento, de 16 anos, é estudante e integrante reserva da seleção de judô. Abandonado pelo pai, o adolescente foi criado pela mãe e avó, donas de um bar no bairro Lourival Parente, zona Sul da capital.

Em contribuição à renda da família, Emerson faz bicos como lavador de carros, conciliando a atividade com a escola e o judô (Foto: Reprodução Globo Esporte)

Em contribuição à renda da família, Emerson faz bicos como lavador de carros, conciliando a atividade com a escola e o esporte. “Eu trabalho, mas sempre pensando no judô. Aquele dinheiro que eu ganho, eu já penso no judô”, salienta em reportagem do esportivo da Globo. “É o judô que me incentiva. Eu preciso fazer isso para me manter no esporte. Eu quero ser o melhor no esporte, então preciso trabalhar em torno disso”, completa.

Na última semana, Emerson ficou em terceiro lugar numa seletiva disputada em São Paulo. O resultado garantiu, automaticamente, uma vaga para a seleção brasileira de judô. Neste mês, repetindo o trabalha num torneio em Belém (PA), poderá se juntar à elite do esporte em torneios internacionais. “Agora estou entre os quatro melhores do Brasil e hoje era para eu participar de um estágio na Croácia, mas não tenho condições”, lamenta.

Treinando desde os dez anos, Emerson é motivo de orgulho à família e amigos. A avó destaca os altos níveis de criminalidade onde moram, enquanto Elzir do Nascimento, mãe do judoca, conta que o filho não chegou a conhecer o pai. “Ele tem o apoio da nossa família. Eu fico muito triste quando eu falo que o meu filho está se destacando, mas a gente não vê o apoio de ninguém”, diz Elzir, emocionada.