Alerta sobre a cidadania da população com autismo


O evento é organizado pela Associação de Pais e Amigos do Autista (AMA) em parceria com a Secretaria de Estado para Inclusão da Pessoa com Deficiência (Seid)

Em alusão ao Dia Mundial de Conscientização Sobre o Autismo, celebrado neste domingo (2), centenas de pessoas participaram da VI Caminhada Azul que, este ano, teve a “Cidadania Pelo Autismo” como tema. A vice-governadora, Margarete Coelho e equipe de secretários estaduais participaram da caminhada.

O evento é organizado pela Associação de Pais e Amigos do Autista (AMA) em parceria com a Secretaria de Estado para Inclusão da Pessoa com Deficiência (Seid). A concentração foi feita no complexo da Ponte Estaiada e terminou no Parque Potycanaba, com a posse dos novos membros do Conselho Estadual de Defesa da Pessoa com Deficiência, biênio 2017-2019.

Dia Mundial do Autismo (Foto: Paulo Barros)

“Queremos sensibilizar e conscientizar cada vez mais a sociedade, todas as nossas, autoridades do estado e do município no sentido de estarmos atentos, conhecer o autismo e entender para que possamos conviver melhor. Divulgar para a população as políticas públicas que podem atender as pessoas com autismo”, explica a presidente da AMA, Rosália Oliveira.

Para Mauro Eduardo, secretário pera a Inclusão da Pessoa com Deficiência, as pessoas com autismos podem ser inseridas na sociedade, vindo a desenvolver qualquer atividade que seja compatível com seu grau de deficiência. Ele também destacou que mecanismos legais vem sendo criados para amparar a população e a família de autistas piauienses.

 

“Hoje nós temos uma lei no Estado do Piauí, de autoria da deputada Rejane Dias que cria a Política Estadual da Pessoa com Espectro do Autismo. Essa lei traz diversos benefícios. Nós sabemos que a maioria dos pais precisa de um tempo maior para cuidar dessas crianças. Através dessa legislação, todos os servidores públicos estaduais que comprovarem a necessidade do acompanhamento do seu filho, terão uma redução de carga horária de 50%”, informou.

Mães do jovem Dante, de 17 anos, Sheila Meneses garante que o enfrentamento é árduo e diário, mas que o aprendizado é gratificante. “Consegui superar muito preconceito, principalmente com a ajuda da família. Hoje eu posso dizer que eu sou um ser humano melhor. As pessoas têm que se conscientizar que existem essas diferentes. É uma síndrome muito difícil, mas tendo conhecimento, fica mais fácil de levar”, contou.

Dia Mundial do Autismo (Foto: Paulo Barros)

Em seu pronunciamento, a vice-governadora chamou a atenção para um outro olhar sobre os autistas. “Não podemos desperdiçar a contribuição dessas pessoas para a sociedade em vários aspectos. Muitos grandes matemáticos, por exemplo, eram e são portadores de autismo. São pessoas que vêm ao mundo com uma percepção mais sensível e rica. Nasceram nas famílias certas, famílias amorosas que buscam pelos direitos das pessoas com deficiência”, relatou.

CIES e CEIR

O Governo do Estado, através de centros públicos de atendimento vem oferecendo assistência especializada em saúde e educação para jovens e com autismo e outras necessidades especiais, como é o caso do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) e do Centro Integrado de Educação Especial (Cies).

O jovem Brendo, de 13 anos, convive com autismo e frequenta o Cies desde 2010. Sua mãe, Katiana Araújo, que estava com ele na Caminhada Azul, diz que o centro surgiu como um espaço de fortalecimento. “A gente se une. Eu frequento o Cies e lá eu conheço muitas mães, muitas crianças. Lá a gente conversa sobre as nossas experiências. É muito gratificante ter esse contato com outras pessoas que passam pela mesma situação que a gente”, relatou.

Posse do Conselho

O Conselho Estadual de Defesa da Pessoa com Deficiência possui parceria com o Ministério Público Estadual e é composto por membros da sociedade civil organizada e por gestores públicos estaduais. Representando o governador Wellington Dias na nomeação dos novos representantes do Conselho, a deputada e secretária de Educação, Rejane Dias, relatou sua experiência enquanto mãe de uma jovem com deficiência e destacou a importância do conselho para o exercício da cidadania.“Temos nele [conselho] a presença de representante de entidades, de pais, ajudando na construção das políticas públicas que possam realmente melhorar a vida das pessoas com deficiência. Temos que ouvir as entidades que estão lá na ponta, sabendo o que é prioridade e emergencial”, pontuou.

Diagnóstico

A Caminhada Azul também mobilizou para a importância do diagnóstico precoce do autismo. Para a neuropediatra Adriana Cunha, presente no evento, quando diagnosticado cedo, o autismo pode ser melhor enfrentado. “O diagnóstico antes dos três anos de idade é melhor do que posterior, porque o cérebro está em franco desenvolvimento. Existe um processo chamado plasticidade neuronal, que favorece o desenvolvimento nesse período. Por isso é importante o diagnóstico antes dos três anos”, indicou a médica.

Descentralização de Serviços

Uma das polícias que vem sendo implantadas pelo Governo do Estado é a descentralização dos serviços para a inclusão a pessoa com deficiência. Um exemplo são os Fóruns estaduais que foram realizados em Picos e Uruçuí e que reuniram centenas de pessoas de suas respectivas.Outra edição do Fórum Regional de Políticas Públicas voltado para incluir as pessoas com deficiência está prevista para os dias 26 e 27 de maio, na região de Floriano.

“Dentro desse fórum é debatido sobre questões de diversas áreas, inclusive das pessoas com deficiência. Na rede regular de ensino, no mercado de trabalho, na rede de reabilitação”, exemplifica o secretário Mauro Eduardo.O secretário da Seid também adianta que um centro de reabilitação está previsto para a cidade de Parnaíba, atendendo a população da planície litorânea.