Em meio a aumento de safra, estrada ruim no cerrado piauiense é destaque no Globo Rural


Região registra um aumento impressionante na safra de grãos. No campo, o agricultor investiu em tecnologia, mas da porteira pra fora, é só problema

Fazenda Guajuvira, em Uruçuí, a 450 km de Teresina.  Feliz da vida, Enéas mostra parte dos 500 hectares de arroz, 3 hectares mil de soja e 3 mil de milho que deve colher este ano.

A fartura é resultado do aumento da área plantada. E não só na fazenda do Enéas. No cerrado piauiense, a área de cultivo passou, de 1,2 milhão hectares ano passado, para 1,4 milhão hectares este ano. As chuvas ajudaram também.

Condição de estrada não ajuda escoamento de grãos (Foto: Reprodução / TV Globo)

Com as chuvas ajudando, os produtores do cerrado piauiense não estão perdendo tempo. Logo depois que as colheitadeiras passam retirando a soja do campo, na mesma área, aproveitam a chamada palhada da soja, e outras máquinas veem adubando e plantando milho. Se tudo continuar correndo direitinho, vai ter colheita em junho deste ano.

Segundo o IBGE, este ano, o Piauí deve colher quase 4 milhões de toneladas de grãos. A maior parte, de soja. 2,1 milhões toneladas; um crescimento de 226%.

Boa parte dessa produção, vai para o mercado asiático. Porém, no Piauí, o problema ainda é fazer esta safra chegar até um porto.

A principal via de escoamento é a Transcerrado. São 340 km, entre os municípios de Sebastião Leal e Gilbués, até a BR-135. O problema é que, de asfalto mesmo, a estrada não tem 30 km. Daí para frente, 150 quilômetros de buracos.

O drama dos caminhoneiros pesa no orçamento dos produtores também. Quem aceita fazer o serviço cobra o frete mais caro.