“PEC dos gastos no Piauí só se tornou necessária por causa da má gestão de W. Dias”


É o que diz o presidente do Sesi, João Henrique Sousa, um dos oposicionistas mais ferrenhos ao PT e que acreditar que o melhor para o PMDB é lançar candidatura própria

O presidente nacional do sistema Sesi, ministro João Henrique Sousa (PMDB) não esconde de ninguém suas pretensões como possível candidato a governador nas eleições 2018.

Nesta semana ele foi apontado por entrevistados da pesquisa Amostragem, divulgada pelo jornal Meio Norte, em quarto lugar nas intenções de voto dos piauienses para ocupar o cargo no Governo do Estado.

Em entrevista ao OitoMeia, João Henrique Sousa, que é hoje um dos políticos piauienses que mais está próximo do atual presidente da República, Michel Temer, confirmou que o PMDB terá uma chapa própria para o Governo do Piauí em 2018 e que seu nome é um dos mais fortes dentro do partido. Ele disse que ficou contente com o resultado da pesquisa.

João Henrique Sousa foi nomeado para o cargo de presidente do Conselho Nacional do SESI, por Michel Temer/ (Foto: Reprodução Fiepi)

João Henrique Sousa foi nomeado para o cargo de presidente do Conselho Nacional do SESI, por Michel Temer/ (Foto: Reprodução Fiepi)

“Me senti muito contente com a pesquisa que foi divulgada. Saber que fui lembrado pelos eleitores, sendo que faz mais de 15 anos que disputei uma eleição e mesmo assim fui apontado como um dos quatro nas intenções de votos é importante. O meu nome está sendo apontado pelo partido para concorrer nas próximas eleições, mas o que temos certeza é que o PMBD terá candidato próprio, isso eu posso afirmar. O PMDB já governou e governou bem duas vezes o Piauí e tem todas as condições para voltar ao governo”, afirmou.

E não deixou de criticar o atual governador, Wellington Dias (PT): “O governo do PT já está a 12 anos a frente do Estado, já está esgotado”. Por ele, o PMDB não se aliaria ao governo petista. De acordo com João Henrique, não há chances de alianças com o PT, já que a sigla pretende mesmo lançar candidatura própria para o Governo do Estado. “Estaremos em campos adversários, nossa tese é lançar um candidato do PMDB.Então não tem como ter aliança alguma”, frisou.

PMDB VIAJA PELO PIAUÍ PENSANDO EM 2018
Já pensando no próximo pleito, o PMDB realizará encontros em vários municípios do Piauí a partir do dia 15 de janeiro de 2017. O primeiro encontro será na cidade de Piripiri, a 158,5 km de Teresina, que vai receber primeira edição da caravana “Piauí em Movimento”, através da Fundação Ulysses Guimarães da qual João Henrique é presidente.

“Nós vamos visitar primeiramente 15 dos principais municípios do Estado, fazendo palestras e discutindo sobre o atual cenário político, tanto do Piauí como o do Brasil. Vamos convidar professores, pessoas da sociedade civil local empresários, intelectuais e cientistas políticos para ter acesso às palestra. Faremos análises sobre a perspectiva do Piauí e vamos nos reunir com nossas lideranças nas cidades”, disse o ex-ministro.

PEC SE TORNOU NECESSÁRIA PO CAUSA DA MÁ GESTÃO DE W. DIAS

João Henrique e Wellington Dias (Foto: Divulgação)

João Henrique e Wellington Dias (Foto: Divulgação)

O ministro é realmente um dos mais fortes oposicionistas ao governo W.Dias, do qual foi adversário na eleição de 2014. E descarta falar em apoio até ao comentar sobre a polêmica PEC que foi aprovada a força na Assembleia Legislativa, depois de muita confusão.

João Henrique disse que a proposta de emenda que limita os Gastos Públicos do Estado “só é necessária por conta da má gestão” do governador Wellington Dias. “Concordo com a PEC, porque o Piauí tem gastado muito mais do que arrecada em função da má administração. Passamos de mais de R$ 4 bilhões de empréstimos porque o Estado não tem dinheiro. Por isso precisamos tomar essas medidas drásticas. Mas não era para ter sido assim. Infelizmente, aconteceu e, repito, por causa de uma má gestão”.

Fonte: OitoMeia