Prodart planeja criar escola do artesanato e retomar Salão de Arte Santeira


2016 foi um ano desafiador para a gestão pública e isso foi refletido não só no aspecto político, mas também na cultura. Francisco Jordão Costa Silva, diretor do Programa de Desenvolvimento do Artesanato do Piauí (Prodart), faz um balanço e diz que diante do cenário de instabilidade, foi obrigado a fazer mais com menos recursos. “Mas podemos afirmar que foi um ano que superou nossas expectativas com conquistas e avanços para o setor artesanal”, diz.

Se o ano foi difícil, Jordão tem bons planos para 2017, como a conclusão da reforma do espaço para atrair mais turistas e a população piauiense, a retomada de cursos e oficinas, além da criação da escola de artesanato e do portal do artesanato.

Neste ano, os artesãos piauienses tiveram oportunidade de participar da XVII Feneart, em Olinda, por um período de 10 dias, conhecida por ser a maior feira internacional. “Também marcamos presença no Brasil Original, em São Paulo. Essas feiras proporcionaram renda extra para mais de 200 artesãos piauienses.”, explica, enfatizando que com essas feiras nacionais e regionais, o total comercializado chegou a R$ 316.388,00 (trezentos e dezesseis mil e trezentos e oitenta e oito reais).

Artesanato Piauiense( Foto: Marcelo Cardoso)

Com 4.315 artesãos cadastrados e 31 associações e cooperativas catalogadas, Jordão diz que uma das finalidades do Prodart é dar estrutura e transporte das peças para exposição e comercialização das artes produzidas por nossos artesãos.

Em Teresina, os artesãos expõem suas peças na Central de Artesanato Mestre Dezinho, onde de janeiro até novembro, foram comercializados aproximadamente o valor de R$ 32 mil. “Esperamos que até o Natal, nossa expectativa seja atingida. Dentre as peças vendidas e mais procuradas, ainda se encontra a escultura em madeira”, diz, lembrando que a central passa pro período de reforma e, por enquanto, a casa não está disponibilizando salas adequadas para a realização de oficinas e o projeto de cursos ofertados para 2017 está em processo de elaboração e para o ano que vem, Jordão diz que já conta com a autorização da criação da escola do artesanato.

Outro projeto é a retomada do Salão de Arte Santeira, já elaborado e está sendo analisado para posterior autorização. “Acredito que esse ano de 2017 não retomaremos apenas com esse evento já esperado, mais com outras grandes novidades como a escola de artesanato e o portal do artesão”, diz.

 

Jordão Costa, diretor do Prodart( Foto: Marcelo Cardoso)

Além da conclusão da reforma do espaço, projetos de oficinas e Salão de Arte Santeira, o diretor diz que vai cumprir com o calendário de eventos que sempre proporciona um renda extra para os artesãos e também divulgam o estado e a cultura. Tornar o Portal do Artesanato um meio de comercialização através da loja virtual reconhecido, a priore nacionalmente e quem sabe mundialmente, retomar o salão de arte santeira com premiações e oferecer novos cursos na escola de artesanato.