Governador abre diálogo sobre PEC dos gastos


O governador Wellington Dias  se reuniu, nesta sexta-feira (23), com representantes de sindicatos e associações de servidores para esclarecer pontos da PEC do Limite dos Gastos Públicos enviada para a Assembleia Legislativa.

“Quem conhece a minha história sabe o compromisso que eu tenho com o diálogo, com os servidores e da importância de ter um Estado organizado. O que nós temos é um caminho em que o Estado dá um grande passo para o equilíbrio da previdência. Onde o que há de ajuste na previdência tem a compensação, portanto, não altera nenhum centavo a receita do servidor”, explica o chefe do executivo estadual.

De acordo com o governador, com as novas regras para receita e despesas, envolvendo todos os poderes, haverá condições para sair do limite prudencial da responsabilidade fiscal. Wellington afirmou que a proposta não possui regras para o congelamento de salários.
“Pelo contrário, hoje é que nós temos essa situação de impedimento de promoção, reajustes, de chamar concursados, de progressão. Alcançando os objetivos que essas matérias que estão em tramitação, na Assembleia, vamos conseguir voltar a sentar à mesa com os servidores e dialogarmos, claro, de acordo com a capacidade do Estado”, enfatizou Dias.

Reunião com servidores( Foto: Jorge Henrique Bastos)

Após o diálogo com os servidores e também com os parlamentares, Wellington Dias, confirmou que haverá uma revisão no tempo. “Nós acatamos da parte dos servidores, pois, se o objetivo é progredir, não tem por que continuar com essa limitação por mais anos, quando o objetivo for alcançado”, disse.O governador ressaltou que espera a aprovação ainda em 2016. “O que nós desejamos é que tenhamos a aprovação em 2016, junto com o orçamento. Se temos a possibilidade de sair mais cedo do limite da Lei de Responsabilidade Fiscal, não tem por que adiar. Essa é uma medida de interesse público. Por isso, mais uma vez peço esse voto de confiança de todos os servidores públicos”, disse.

Wellington Dias afirmou ainda que a PEC dos limites dos gastos não é igual a PEC 55, como vem sendo dito. “A reunião foi realizada seguindo aquilo que a nossa governadora em exercício, Margarete Coelho, os nossos secretários e os próprios parlamentares fizeram durante esta semana, que foi demonstrar que o que tramita aqui nada tem a ver com a PEC 55, como foi colocado”, esclarece.

Participaram da reunião a representantes da Polícia Militar do Piauí, Corpo de Bombeiros,  os diretores do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Estado do Piauí (Sinpoljuspi), Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Piauí (Sinpolpi), Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Piauí (Sinte), Associação dos Professores da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Piauí (Sindespi) e Sindicato dos Fisioterapeutas do Estado do Piauí e de várias outras categorias.