Sem verba, ONU pode cortar comida de 1,3 milhão de crianças africanas


Mais de 1,3 milhão de crianças da África podem ficar sem alimentos que recebem em escolas apoiadas pela Organização das Nações Unidas (ONU) e que, em muitos casos, representam a única refeição do dia, a menos que o Programa Mundial de Alimentos (PAM) receba novos recursos nas próximas semanas.

Crianças em Camarões, Mali, Mauritânia e Níger podem ser afetadas (Foto: Boureima Hama/AFP)
Crianças em Camarões, Mali, Mauritânia e Níger podem ser afetadas (Foto: Boureima Hama/AFP)

Em comunicado, o PMA alertou que, se os doadores não fornecerem novos fundos durante o próximo mês, mais de 500 mil meninos e meninas em Camarões, Mali, Mauritânia e Níger vão ficar sem comida na escola.

Além disso, se até o fim de 2016 não forem recebidas novas verbas, outras 700 mil crianças em outros 11 países da África central e ocidental também deixarão de receber alimentos essenciais.

“Em muitos países da África central e do oeste, a comida servida na escola determina a linha fina de sobrevivência, dado que em muitos casos ela é a única alimentação regular que eles obtêm”, alertou no texto o diretor do PMA na África Ocidental, Abdou Dieng.

 

Fonte: G1