Polícia do Rio acaba com esquema de prostituição em frente ao Parque Olímpico


material-prost
O material apreendido durante a ação. Foto: Guilherme Pinto / Extra

Equipes da da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (Dcav) fazem uma operação, na manhã desta quinta-feira, para tentar prender uma quadrilha responsável por aliciar adolescentes carentes para a prática da prostituição num condomínio em frente ao Parque Olímpico Rio 2016, localizado na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Dois dos envolvidos no crime tiveram a prisão temporária decretada pela Justiça: Jonathan Alves Mendes, de 24 anos, e Márcio Garcia de Andrade, de 33. Eles estão foragidos.

Segundo as investigações, a dupla negociava os programas e os clientes eram atendidos pelas vítimas, monitoradas 24 horas por câmeras instaladas nos quartos. Os agentes da Dcav ainda cumpriram outros três mandados de busca e apreensão no condomínio Villas da Barra, segundo a delegada Cristiana Bento, titular da especializada. Faxineiras que trabalhavam no local foram levadas à sede da Dcav para prestar depoimento.

De acordo com o inquérito que investigou o crime, Jonathan e Márcio colocavam anúncios em redes sociais para atrair as meninas – elas eram iludidas com o artifício de que se tornariam modelos.. Os perfis no Facebook, no Instagram e no YouTube denominado “Sonhos de modelo” listavam os requisitos necessários às interessadas: idade entre 14 e 21 anos, “desejo ardente de ser modelo, atriz ou cantora”, “disposta a aderir a um plano rígido de treinamento profissional e crescimento pessoal”, “disposta a morar na Barra da Tijuca”, “beleza, delicadeza e classe” e “talento”.

A mensagem na parece de um dos quartos ocupados pelas adolescentes Foto: Reprodução
A mensagem na parece de um dos quartos ocupados pelas adolescentes Foto: Reprodução

Os suspeitos ocupavam três apartamentos no Vilas da Barra. Jonathan ficava num imóvel no sétimo andar e Márcio, numa cobertura de luxo. Jà as adolescentes eram colocadas em outro endereço.

Em seus anúncios na internet, os aliciadores usavam imagens de mulheres famosas, entre elas a modelo Adriana Lima e a miss brasil Jackelyne Oliveira, para chamar a atenção. A utilização não era autorizada.

Já se sabe que as garotas passavam o dia trancadas em um apartamento e só saíam de lá para fazer programas em outro apartamento do mesmo condomínio.

Delegada pede quebra de sigilo telefônico

A delegada Cristiana Bento pediu a quebra de sigilo telefônico de dez celulares apreendidos na operação desta quinta. A polícia quer saber se os aparelhos recebiam ligações para negociar programas sexuais com as menores. Já se sabe que pelo menos seis adolescentes trabalhavam no local, alguma com idade entre 15 e 16 anos.Além da quebra do sigilo telefônico, a polícia vai verificar o conteúdo de um notebook, que era usado pela quadrilha.

Márcio está foragido Foto: Reprodução
Márcio está foragido Foto: Reprodução

Em dos apartamentos usados pelo bando, a polícia apreendeu peças íntimas usadas pelas adolescentes, uniformes, algemas, pílulas do dia seguinte, preservativos e complexos vitamínicos. Também foram localizadas fotos que mostram como os acusados de serem os responsáveis pela prostituição infantil gastavam o lucro do negócio.

O suspeito ficava numa cobertura de luxo Foto: Reprodução
O suspeito ficava numa cobertura de luxo Foto: Reprodução

Em uma delas, Márcio Garcia de Andrade aparece em uma praia em Miami, nos Estados Unidos. Em outra imagem, ele é visto na mesma cidade, ao lado de um carro de luxo. Segundo a delegada Cristiana Bento, Márcio e Jonathan Alves Mendes viviam exclusivamente da exploração sexual das menores.

– Temos provas contundentes contra os dois. Eles viviam só disso, só trabalham com isso (explorar menores) – disse a delegada.

A ação desta quinta-feira é parte de um inquérito que investiga a exploração sexual infantil na orla da Zona Sul, na Barra e no Recreio dos Bandeirantes. Há 15 dias, a DCAV e a Coordenadoria de Direitos Humanos do Ministerio Público receberam uma denúncia de que meninas estavam sendo prostituídas em um condomínio da Barra.

Desenhos infantis

O local onde as jovens descansavam contava com decorações de personagens infantis e tinha vista para os outros condomínios da Barra.  Um caderno apreendido pelos agentes mostram desenhos feitos pelas garotas. A Dcav tenta identificar quem eram essas meninas.

Fonte: Extra

O condomínio tem vista para a Arena HSBC Foto: Reprodução
O condomínio tem vista para a Arena HSBC Foto: Reprodução
Desenho feito por uma das garotas Foto: Guilherme Pinto / Extra
Desenho feito por uma das garotas Foto: Guilherme Pinto / Extra
O material está na Dcav Foto: Guilherme Pinto / Extra
O material está na Dcav Foto: Guilherme Pinto / Extra
Jonathan também está foragido Foto: Reprodução
Jonathan também está foragido Foto: Reprodução

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O artifício usado para atrair as meninas: virar modelo Foto: Reprodução
O artifício usado para atrair as meninas: virar modelo Foto: Reprodução