Oficialmente candidato, Trump diz que levará mudança a Washington


Trump-informe piauí
Donald Trump fala a delegados na convenção do Partido Republicano, em Cleveland, Ohio, através de uma videoconferência, na terça (19) (Foto: John Moore/Getty Images/AFP)

Após ser confirmado como candidato do Partido Republicano à presidência dos EUA nesta terça (19), ao conseguir o número de delegados necessário durante a convenção nacional do partido, Donald Trump disse que “nunca esquecerá” o que aconteceu esta noite, e prometeu levar “mudança verdadeira e liderança” a Washington .

Ele ressaltou em um breve discurso que foi nomeado em uma convenção com o maior número de delegados votando na história. “Este estágio do processo presidencial se encerrou… mas temos que seguir adiante”, afirmou.

Trump falou por meio de um video e prometeu voltar a Ohio na quarta.

“Vamos ganhar a presidência e levar mudança verdadeira e liderança de volta a Washington. Será uma liderança que põe o povo americano em primeiro. Vamos trazer de volta nossos empregos, vamos reconstruir nossas forças armadas enfraquecidas e cuidar de nossos grandes veteranos. Teremos fronteiras fortes, nos livraremos do Estado Islâmico, e restauraremos a lei e a ordem”, discursou.

“Iremos fazer a América grande de novo”, prometeu, citando o lema de sua campanha. “Tenham uma noite fantástica. Vejo vocês amanhã à noite, vejo vocês na quinta e iremos ganhar em novembro”, encerrou.

Alguns minutos antes Trump havia afirmado no Twitter que está honrado de ser o nomeado do Partido Republicano. “Vou trabalhar duro e nunca desapontar vocês”, postou.

Convenção
A votação teve início às 17h10 (19h10 em Brasília) e confirmou a previsão de Trump se tornar o candidato oficial. Ele precisava de 1.237 delgados, mas garantiu 1.725.

A confirmação aconteceu uma hora depois e foi anunciada por Donald Trump Jr., um dos filhos do candidato e delegado pelo estado de Nova York. A convenção segue até quinta-feira, quando Trump deve aceitar formalmente a nomeação do partido.

Com discursos empolgados e saudados com entusiasmo pelos delegados presentes no ginásio Quicken Loans, os delegados de cada estado comunicaram quantos votos Trump teve e quantos foram destinados a outros candidatos. Muitos se referiram a Trump como “o próximo presidente dos Estados Unidos”.

A convenção, assim como a campanha, teve presente a polêmica em torno da candidatura de Trump, que venceu as prévias mas é questionado por lideranças do partido. Trump nunca ocupou cargo público. Os opositores republicanos se mostram alarmados com as posições polêmicas de Trump a respeito de imigrantes e muçulmanos, bem como com seu distanciamento da ortodoxia do partido em temas como o comércio. (Veja as ideias e propostas do candidato).

Mesmo já não havendo concorrentes de Trump no páreo, o número de delegados atribuídos a outros pré-candidatos durante a convenção nacional mostra que o Partido Republicano está dividido em relação ao magnata. Um levantamento do jornalista Steve Kornacki, da rede MSNBC, indica que desde 1980 nunca houve tantos votos contra o provável nomeado na convenção nacional. Em 2012, que tinha sido o recorde anterior, foram 202, contra mais de 500 este ano.

De acordo com uma pesquisa Reuters/Ipsos divulgada nesta terça, Trump diminuiu a vantagem da rival democrata Hillary Clinton para 7 pontos percentuais, ante 15 pontos na semana passada. Os dois devem fazer o primeiro de pelo menos três debates no dia 26 de setembro no estado de Nova York, base de ambos.

 

Trump-Jr-informe piauí
Donald Trump Jr. anuncia votos do estado de Nova York, que garantiram a nomeação de seu pai Donald Trump, cercado por seus irmãos Ivanka, Eric e Tiffany na convenção do Partido Republicano (Foto: AP Photo/Carolyn Kaster)